24 anos de Filhos de Maria!

Em 2022, completamos 24 anos de comunidade. São 24 anos amando e abraçando ao Senhor, anunciando ao mundo Seu amor misericordioso.

Convidamos todos a ouvir e meditar algumas mensagens que já recebemos de (arce)bispos que nos acolheram e conduziram durante estes anos.

 

Em celebração por estes 24 anos, teremos um Retiro de Aprofundamento no Carisma Filhos de Maria! Pedimos a oração de todos que fazem parte desta história de amor conosco! Deus abençoe!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Post

JUVENTUDE STD!JUVENTUDE STD!

 

No dia 19 de março de 2018, o Papa Francisco lançou a exortação apostólica Gaudete et exsultate, sobre a chamada à santidade no mundo atual.  A partir das bem-aventuranças, o santo padre aborda ali algumas características e traços espirituais indispensáveis ao estilo da vida santa a que todos somos chamados e enfatiza aspectos da santidade que encontram eco em nossos dias. Daqui constatamos que a santidade não é exclusiva de um grupo seleto. É um chamado atual aos que querem seguir o Senhor e dia após dia terem suas vidas configuradas à Dele. “Sejam santos, porque eu sou santo!” (IPe 33,16).

No entanto, é notável um apelo à santidade da Juventude, visto que essa parcela da sociedade encerra em si a energia da força transformadora, evidente já no relato bíblico: “Jovens, eu vos escrevo porque sois fortes, a Palavra de Deus permanece em vós e vencestes o Maligno. ” (I Jo 2,14c).

Como temos no Evangelho, o Senhor chamou para si os que Ele quis (Mc 3,13). Mas é preciso reconhecer a predominância daqueles que desde a sua juventude ouviram essa voz e, com toda a força de alma e decisão, se propuseram a responder a tal chamado com a vida. Do Antigo ao Novo Testamento, saltam aos nossos olhos os nomes e o testemunho daqueles que desde a mais tenra idade se propuseram, como Samuel, a fazer de sua vida uma resposta constante: “Fala, Senhor, que teu servo escuta! ” (ISm 3,9). Houve ainda, outros “Jeremias” temerosos por serem imaturos…, mas, a seu modo e maneira, todos responderam um fiat estarrecedor como o da Virgem Maria, e ainda que questionado o “como se dará isso?”, se prontificaram: “Faça-se em mim segundo a tua palavra. ” (Lc 1,38).

Tocando a realidade de nossos dias, por mais que nos rodeiem tantos desafios e ataques aos valores cristãos, há uma urgência em mostrar para os jovens que a santidade é possível e que devemos lutar por ela. Falamos aqui da santidade cotidiana e também daquela da honra dos altares, reservada aos que desejam em tudo se assemelharem a Jesus. Aos jovens, o papa São João Paulo II exortou: “Jovens de todos os continentes, não tenhais medo de ser os santos do novo milênio! ” (Roma, 2000).

 

O jovem santo da atualidade é aquele que não se intimida diante dos pessimismos da vida e é capaz de contorná-los com alegria e bom-humor, frutos da vida de oração que rega a experiência de amor e proximidade com o Senhor na vida sacramental e nas realidades fraternas. Jesus, em sua juventude, também viveu as agruras de seu tempo, mas soube se posicionar dando prioridade às coisas do Pai (cf. Lc 2,49). 

No seio da Sagrada Família de Nazaré, Jesus aprendeu de São José e da Virgem Maria a segurança interior, a serenidade cheia de esperança, fruto da vida em Deus e a satisfação espiritual incompreensível de saber-se amado, fazendo transbordar a todos esse amor desinteressado que é contrário aos critérios humanos. Sejamos nós hoje, enquanto Igreja, outra Família de Nazaré a acolher, formar e motivar os nossos jovens no caminho da santidade.

Passados mais de vinte anos da Jornada Mundial da Juventude em Toronto, deixemo-nos impelir pelas palavras de São João Paulo II: “Fazei resplandecer a luz de Cristo nas vossas vidas! Não espereis por ser mais idosos, para vos empenhardes no caminho da santidade! A santidade é sempre jovem, como eterna é a juventude de Deus.” (Toronto, 2002).

Jovens, ao chamado à santidade, respondamos com dignidade e grandeza de alma!

Deus vos abençoe!

Padre Marcelo Eduardo, sacerdote e missionário da Comunidade Filhos de Maria

 

 

Ser mãe como a Virgem MariaSer mãe como a Virgem Maria

“Maria é um espelho para todos nós!” (Érika Vilela)

– – – – – – – – – – 

Toda mulher, chamada a uma maternidade biológica ou espiritual, pode inspirar-se na Mãe das mães, na Mãe de Deus.

Maria foi aquela que soube em todas as adversidades, perseverar e ver o Amor crescer. Esperou não somente por 9 meses, mas por 30 anos, para que o Seu Filho se revelasse e as Suas promessas se cumprissem. Confiou no nascimento, confiou nas perseguições, confiou sem provas, confiou na cruz e na Ressureição. Sua atitude não dependia das circunstâncias, mas da sua fé; certa de que “a Deus nada é impossível” (Lucas 1:37), não teve a sua esperança decepcionada.

Assim como ela, enfrentamos ou enfrentaremos nossas noites mal dormidas, ou uma falta de entendimento completo das situações, ou um choro ou uma dor neste caminho. Quantas vezes não repetiremos a Sua pergunta: “como se fará isso?” (Lucas 1:34).

O que fazer, se não seguir essa mesma fé? Sua confiança inabalável de que Deus cuidava de tudo, com seu Coração Imaculado e humilde que acolhia os acontecimentos, sua obediência nos sofrimentos e o seu silêncio pacificador…Não eram as situações, mas a Sua postura diante delas, que gerava a alegria e a ação de graças da sua alma de louvor.           

Que, assim como Ela, a nossa grande realização, não seja, apenas, de gerar um filho, mas de viver plenamente a vontade de Deus em nossas vidas. Será se temos unido a nossa resposta a dela? Temos sido as mesmas auxiliadoras de Deus em seu projeto criador?

Maria nos ensine e rogue por nós!

– – – – – – – 

 

Texto por Sárvya Karena, missionária consagrada da

Comunidade Filhos de Maria, psicóloga e mãe.