Comunidade Filhos de Maria Notícias,Novidades Grupo de Oração de volta em Montes Claros

Grupo de Oração de volta em Montes Claros


Nosso Grupo de Oração Filhos de Maria está retornando com os encontros presenciais em Montes Claros.

Será em novo dia, novo local e novo endereço! Toda terça a partir das 19h30 na Igreja São Vicente de Paulo (Asilinho) que fica na Rua Rua General Carneiro, 164 – Centro.

Venha louvar e clamar ao Senhor conosco! Esperamos por você!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Post

5 dias com João Paulo II5 dias com João Paulo II

Fala, galera!

De 17 a 21 de outubro no canal do Youtube da Comunidade Filhos de Maria  teremos o “Sede fecundos! (Gn 1,28): 5 dias com João Paulo II”!

Um retiro para quem deseja conhecer um pouco mais sobre os ensinamento de João Paulo II. Vamos encarar este caminho juntos?

Maria Clara Novaes, consagrada da Comunidade Filhos de Maria, nos ajudará a trilhar essa preparação. A cada dia teremos um vídeo e um #desafiioSTD!

Inscreva-se em nosso canal e ative a notificação para não perder nenhum dia de graça que o Senhor deseja derramar em nós pela intercessão de São João Paulo II. 

DescansarDescansar

Um bom descanso nem sempre será proporcional ao tempo que sobra para repousar o corpo. Mais do que isso, descansar exige, primeiro, uma consciência de quais são os chamados e deveres diários. É saber reconhecer a vocação e a missão pessoal. Diante delas estou agindo adequadamente? Estou cumprindo o mínimo necessário? Entregando o meu melhor possível?

Quando a consciência capta o que deve ser feito, não descansa, enquanto não realiza. Sendo assim, não aja aleatoriamente e sem propósito, isso, inclusive, cansa muito mais. Atue intencionalmente, com direção e finalidade.

Deus quer algo de cada um de nós! O que Ele quer de você hoje? É preciso saber o porquê, para quê ou por quem, realizar todas as coisas. Pois quando as nossas ações encontram bons motivos, o nosso coração descansa em paz, mesmo no cansaço físico.

Deus, após a criação, viu “que tudo era muito bom” Gênesis 1:31, e descansou. Desejo que você descanse realizado. Como uma vela que se desgasta, não em vão, mas para iluminar o que for preciso.

“Os que esperam no Senhor renovarão as forças, subirão com asas como águias ; correrão e não se cansarão; caminharão e não se fatigarão.” (Isaías 40:31)

Sárvya Karena, missionária consagrada da Com. Filhos de Maria e psicóloga

O que aprendemos no desertoO que aprendemos no deserto

(Texto e locução por Érika Teles)

Quando se fala em deserto logo pensamos: é um lugar quente, árido, de difícil acesso, com pouca agua, pouca comida, um lugar com muitas dificuldades. A sobrevivência no deserto é um tanto desafiadora.

Na vida espiritual, nós, cristãos, também passamos por períodos de deserto, onde Deus parece estar distante, longe, onde as dificuldades e desafios parecem cada vez maiores. Nos sentimos desanimados, tentados a todo tempo, na maioria das vezes, pensamos estar sozinhos. Porém, apesar de toda essa turbulência, se bem vivido o tempo de deserto pode ser bem fecundo. Deus nos coloca no deserto para aprendermos que não vivemos só de pão, que não somos capazes de viver sozinhos, mas que dependemos Dele. No deserto aprendemos a ser pobres e a depender Dele.

É no deserto que aparecem os demônios e é necessário combater os demônios para se assemelhar a Cristo, é Ele o nosso modelo de homem novo e de mulher nova. Tudo aquilo que me coloca em crise é deserto, mas esse deserto nos leva a um autoconhecimento e ao conhecimento de Deus. É um momento doloroso mas necessário. Sem a tentação só conhecemos a ilusão.

Portanto, no deserto aprendemos a ser mais de Deus, a confiar a Ele toda a nossa vida, aprendemos a viver o abandono e a confiança.

Érika Vilela, nossa fundadora, nos ensina que “Em grandes momentos de dor surgem grandes obras de amor, obras de paz.” Aprendemos que todo momento, por mais difícil e doloroso que seja, vivido diante de Deus é bonito. Se você vive um tempo de deserto aproveite para fazer desse tempo um tempo fecundo e para fortalecer a sua fé, confiando que apesar do sentimento de ausência, Ele, sempre está presente.