Comunidade Filhos de Maria Notícias,Novidades Hozana: 1 milhão de inscritos!

Hozana: 1 milhão de inscritos!

Para você que nos acompanha, sabe que já temos alguns retiros na plataforma Hozana. Que tal conhecer um pouco mais sobre esta rede de oração? Confira a seguir: 

Um milhão de inscritos no Hozana!

O Hozana já reúne mais de um milhão de inscritos (ativos nos últimos 12 meses) em quatro idiomas, incluindo 108.000 no Brasil e 140.000 em português.

Lançado há sete anos, o Hozana é uma rede social de oração que permite que você participe de comunidades de oração em torno de temas espirituais e envie suas intenções de oração.


A invenção do crowdpraying 

Lançado em 2014 por Thomas Delenda, um jovem graduado do HEC (estudos de comércio), o Hozana inventou o “crowdpraying”, oferecendo a possibilidade dos usuários da Internet se reunirem em torno de comunidades temáticas de oração. A ideia foi um sucesso rápido e o Hozana teve quase 40.000 inscritos já no primeiro ano do seu lançamento.

Os inscritos podem participar de comunidades de oração para receber o Evangelho diário, com comentários, ou retiros e novenas (nove dias consecutivos de oração) ao longo do ano. Estas comunidades são animadas por organizações cristãs (comunidades religiosas, meios de comunicação, associações, movimentos etc.), ou, ainda, por sacerdotes, religiosos, ou mesmo por simples fiéis. O Hozana oferece assim uma grande diversidade de conteúdos graças à contribuição de mais de 500 parceiros. Também é possível depositar intenções de oração e orar pelas intenções depositadas por outros membros da rede.

Em 2018, o conceito foi internacionalizado com o lançamento de uma versão em inglês, espanhol e português. O Hozana está disponível em um aplicativo para Android e iOS e na web.

Um modelo econômico associativo  

O Hozana é uma associação sem fins lucrativos, cujo modelo econômico é 100% baseado em doação e voluntariado. Quarenta grandes patrocinadores possibilitaram o lançamento do projeto, que agora é lucrativo apenas com as doações dos usuários, permitindo remunerar uma equipe de cerca de vinte funcionários permanentes (15 em tempo integral). Mais de 70 voluntários (3 em tempo integral), também contribuem em várias necessidades: redação de artigos, tradução, gráficos, desenvolvimento de TI, comunicação.


O Hozana recebeu milhares de testemunhos desde seu lançamento. Frequentemente recebemos mensagens do tipo “graças ao Hozana, já não estou só”. A Comunidade Filhos de Maria faz parte dessa história. Com suas comunidades de oração já reuniu no Hozana quase mil pessoas!

Conheça a página especial que criamos para comemorar o milhão de inscritos: https://hozana.org/pt/um-milhao


 

Gostou dessa proposta? Entre em contato com Débora Moreira, representante da plataforma. 

 

Débora Moreira: 

debora@hozana.org 

+33 6 61 34 69 14 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Post

O que aprendemos no desertoO que aprendemos no deserto

(Texto e locução por Érika Teles)

Quando se fala em deserto logo pensamos: é um lugar quente, árido, de difícil acesso, com pouca agua, pouca comida, um lugar com muitas dificuldades. A sobrevivência no deserto é um tanto desafiadora.

Na vida espiritual, nós, cristãos, também passamos por períodos de deserto, onde Deus parece estar distante, longe, onde as dificuldades e desafios parecem cada vez maiores. Nos sentimos desanimados, tentados a todo tempo, na maioria das vezes, pensamos estar sozinhos. Porém, apesar de toda essa turbulência, se bem vivido o tempo de deserto pode ser bem fecundo. Deus nos coloca no deserto para aprendermos que não vivemos só de pão, que não somos capazes de viver sozinhos, mas que dependemos Dele. No deserto aprendemos a ser pobres e a depender Dele.

É no deserto que aparecem os demônios e é necessário combater os demônios para se assemelhar a Cristo, é Ele o nosso modelo de homem novo e de mulher nova. Tudo aquilo que me coloca em crise é deserto, mas esse deserto nos leva a um autoconhecimento e ao conhecimento de Deus. É um momento doloroso mas necessário. Sem a tentação só conhecemos a ilusão.

Portanto, no deserto aprendemos a ser mais de Deus, a confiar a Ele toda a nossa vida, aprendemos a viver o abandono e a confiança.

Érika Vilela, nossa fundadora, nos ensina que “Em grandes momentos de dor surgem grandes obras de amor, obras de paz.” Aprendemos que todo momento, por mais difícil e doloroso que seja, vivido diante de Deus é bonito. Se você vive um tempo de deserto aproveite para fazer desse tempo um tempo fecundo e para fortalecer a sua fé, confiando que apesar do sentimento de ausência, Ele, sempre está presente.

PRESIDÊNCIA DA CNBB DIVULGA NOTA SOBRE A CAMPANHA DA FRATERNIDADE ECUMÊNICA 2021PRESIDÊNCIA DA CNBB DIVULGA NOTA SOBRE A CAMPANHA DA FRATERNIDADE ECUMÊNICA 2021

A presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou na terça-feira, 9 de fevereiro, uma nota na qual esclarece pontos referentes à realização da Campanha da Fraternidade Ecumênica deste ano, cujo tema é: “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor” e o lema: “Cristo é a nossa paz. Do que era dividido fez uma unidade”,  (Ef 2,14a).

O documento reafirma a Campanha da Fraternidade como uma marca e, ao mesmo tempo, uma riqueza da Igreja no Brasil que deve ser cuidada e melhorada sempre mais por meio do diálogo. Iluminado pela Encíclica Ut Unum Sint, de 1999, do Papa São João Paulo II, o texto aponta também ser necessário cuidar da causa ecumênica. 

Sobre o texto-base da CFE deste ano, os bispos afirmam que a publicação seguiu a estrutura de pensamento e trabalho do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC), conselho responsável pela preparação e coordenação da campanha da fraternidade em seu formato ecumênico. “Não se trata, portanto, de um texto ao estilo do que ocorreria caso fosse preparado apenas pela comissão da CNBB”, aponta a Nota. (…)

A nota informa que os recursos do Fundo Nacional de Solidariedade (FNS) seguem rigorosa orientação, obedecendo não apenas a legislação civil vigente para o assunto, mas também a preocupação quanto à identidade dos projetos atendidos. “Os recursos só serão aplicados em situações que não agridam os princípios defendidos pela Igreja Católica”, reforça a nota.

A presidência da CNBB afirma, no parágrafo final, que apesar de nem sempre ser fácil cuidar das dificuldades levantadas pela realização de uma Campanha da Fraternidade e da caminhada ecumênica e de muitos outros aspectos da ação evangelizadora da Igreja, nem por isso se deve desanimar e romper a comunhão, o que segundo os bispos é uma das maiores marcas dos cristãos. “Não desanimemos. Não desistamos. Unamo-nos”, exorta a presidência da CNBB.

Confira o texto na íntegra em PDF: Aqui.

Fonte: https://campanhas.cnbb.org.br/presidencia-da-cnbb-divulga-nota-sobre-a-campanha-da-fraternidade-ecumenica-2021.html